Radiografia ao estado da colocação, mostrando a diferença de posicionamento subcristal entre os dois implantes. ©Dr. Sergio Salina

 

Os resultados de 3 anos após a colocação de um estudo multicêntrico, controlado e aleatório acabam de ser publicados no International Journal of Oral Implantology. O objetivo deste estudo é avaliar se o posicionamento subcristal de implantes dentários a 0,5 ou 1,5 mm em cristas ósseas cicatrizadas tem um impacto nos resultados estéticos e biológicos a longo prazo.

Sessenta pacientes parcialmente desdentados que necessitam de duas coroas em implantes foram selecionados em seis clínicas. Os dois implantes foram colocados aleatoriamente a 0,5 mm ou 1,5 mm sob a crista óssea.

Os dois protocolos cirúrgicos revelaram resultados estéticos muito satisfatórios (PES > 12) e demonstraram uma reabsorção óssea mínima (< 0,5 mm) passado 3 anos. Foi registada uma reabsorção óssea ligeiramente inferior no âmbito de uma colocação subcristal de 1,5 mm relativamente a 0,5 mm, sem impacto no resultado estético. Este tem como objetivo mostrar que uma inserção mais profunda do implante apenas poderia ser benéfica para garantir a estabilidade óssea, o que será confirmado após 5 anos de acompanhamento.

 

 Ler o estudo completo